William Oliveira

Carreira em programação, JavaScript, Nodejs, Performance Web, Git, GitHub, Linux, Open Source, mas também coisas realmente importantes como inclusão e diversidade - Vim da periferia pro mundo

Uma rápida introdução ao Docker e instalação no Ubuntu

Você já deve ter ouvido falar, pelo menos uma vez, sobre Docker em algum lugar. Seja em palestras, blogs, vídeos ou em qualquer outra fonte de estudos sobre desenvolvimento, uma hora sempre comentamos sobre virtualização de ambientes e o Docker é a ferramenta que mais tem se destacado para tal. Ele é uma das 8 maravilhas das atualidades mais atuais. Vamos entender um pouco, então, o que é o Docker e como instalar no nosso Ubuntu.

Docker

Introdução

Eu também já ouvia falar do Docker a um bom tempo, porém nunca havia me aprofundado mais nessa ferramenta.

Depois do Docker Birthday Party #3 Celebration + Training eu decidi aprender um pouco mais e estou curtindo muito essa ferramenta!

Durante os estudos, vou postar minhas anotações e dicas aqui no Blog. Fica ligado pra não perder nada ein. ;)

Vamos partir do começo…

Caso você já conheça o Docker, pode pular direto para a instalação no Ubuntu.

Pra que serve a virtualização de ambientes?

Primeiro vamos entender de que ambiente estamos falando.

O ambiente que estou falando, nesse momento, é a infraestrutura que vamos usar para se desenvolver nossa aplicação. Falo do Servidor Web (Apache, NGINX), Banco de Dados (MySQL, PostgreSQL), o interpretador da sua linguagem de programação (Python, Node, PHP) e libs que você possa utilizar para desenvolver (como Gems do Ruby, Bibliotecas Python/PHP, pacotes do Node) que instala direto no seu Sistema Operacional.

Normalmente instalamos tudo isso direto no nosso SO (Sistema Operacional) e isso pode acarretar em algum xabu mais pra frente como deixar nosso SO mais lento (digo MAIS por causa do Unity ;P) devido a quantidade de coisas que instalamos nele ou vai dar um trabalho lascado quando atualizar o SO ou formatar o PC e precisamos instalar e configurar tudo aquilo de novo. É um processo bem chato.

Uma alternativa é instalar o VirtualBox e virtualizar nosso ambiente de desenvolvimento em uma VM. Isso isola a nossa aplicação dentro dessa VM e não precisamos instalar tudo no nosso SO principal. Caso precisemos formatar o nosso PC, basta exportar essa VM e deixar guardadinha, instalar o VirtualBox de novo e importar a VM. Pronto!

Menos trabalho e mais performance em nosso SO principal, né?

Sim, porém existem alternativas melhores.

Vagrant

Por um bom tempo usei o Vagrant que trabalha com a API do VirtualBox, porém é mais rápido e utiliza um dot-file, o Vagrantfile, dentre outras alternativas, como Puppet ou Chef, para automatizar a instalação e configuração de tudo o que precisamos no nosso ambiente de desenvolvimento.

Para subir um ambiente completo, só precisamos do VirtualBox e Vagrant instalados na máquina e um Vagrantfile com as configurações que vamos precisar. Ao iniciar o nosso ambiente com o Vagrant tudo será instalado e configurado automaticamente.

Maravilhoso, certo?

Sim, mas ainda da para melhorar.

Docker

O Vagrant inicia todo o Sistema Operacional, parecido com usar uma VM direto pelo VirtualBox, porém de uma maneira mais prática, rápida e automatizada. Só que isso acaba sendo um pouco ruim, pois o Hardware, Discos, Processador, Rede, etc, ainda será emulado dentro da VM. Isso vai pesar no nosso SO principal (o host) e pode até causar comportamento diferente para nossa aplicação dentro da VM e fora da VM devido ao host estar sobrecarregado. Para isso temos uma boa alternativa, o Docker!

Claro que da para evitar esse comportamento diferente, porém é mais trabalhoso do que com o Docker.

O Docker trabalha com containers. Imagine seu computador como um navio cargueiro carregando vários containers e cada container com suas mercadorias separadas. É o que conseguimos fazer com o Docker. Ele isola os processos e serviços, mas utiliza os recursos da máquina hospedeira. O Hardware não será emulado dentro de uma VM. Ele usa diretamente o Kernel e recursos do Host. Isso o torna mais leve, pois o Kernel já fez uma boa parte do trabalho.

Introdução ao Docker

Se você nunca utilizou o Docker, uma excelente maneira de aprender e entender TUDO sobre essa ferramenta é assistindo a série de vídeos do Jeferson Fernando no seu canal Linux Tips. No canal dele ainda tem muitos vídeos maneiros sobre Git e Linux. Vale a pena seguir ele acompanhar o que esse mano fala sobre Infraestrutura.

Instalação no Ubuntu

Primeiro você precisa possuir a versão do Kernel atualizada ou a 3.10. Para verificar qual a versão utilize o comando abaixo:

uname -r

Deve aparecer algo como:

3.19.0-51-generic

Atualize seu Sistema e instale as dependências com os comandos:

sudo apt-get update
sudo apt-get install apt-transport-https ca-certificates
sudo apt-get install linux-image-extra-$(uname -r)

E adicione a GPG Key - se você não sabe o que é uma GPG, clique aqui:

sudo apt-key adv --keyserver hkp://p80.pool.sks-keyservers.net:80 --recv-keys 58118E89F3A912897C070ADBF76221572C52609D

Abra o arquivo /etc/apt/sources.list.d/docker.list ou, caso o mesmo não exista, crie ele com o comando:

sudo vi /etc/apt/sources.list.d/docker.list

Você pode usar o gedit no lugar do VI se preferir.

Apague o conteúdo desse arquivo.

Supondo que você esteja utilizando a versão 14.04 (LTS) do Ubuntu, cole o seguinte conteúdo:

deb https://apt.dockerproject.org/repo ubuntu-trusty main

Se for outra versão, verifique aqui o comando correto no item 7.

Agora vamos atualizar o Sistema novamente e remover qualquer instalação anterior do Docker:

sudo apt-get update
sudo apt-get purge lxc-docker

Agora sim, instale o Docker:

sudo apt-get install docker-engine

Para inicializar o Docker, usamos o comando:

sudo service docker start

Para verificar se está tudo rodando certinho, execute o container de Hello World do Docker:

sudo docker run hello-world

Configurando para não precisar de sudo ao executar o Docker

Para não precisar usar o sudo sempre, execute o seguinte:

sudo usermod -aG docker $USER

OBS: $USER é uma variável do Shell para o usuário logado, caso esteja configurando para outro usuário, deve colocar o nome dele no lugar disso.

Agora você consegue executar:

docker run hello-world

E pronto! Instalado e configurado. Agora você já pode começar a usar o Docker.

Logo menos vou postar mais dicas sobre Docker. Fique ligado!

Compartilhe a palavra.

Referências

Espalhe a palavra!

Compartilhe este artigo nas redes sociais clicando nos ícones.

Deixe um comentário