Pare de procurar conteúdo e comece a praticar! Você pode estar bloqueado(a) pela paralisia por análise

Quanto mais nos aprofundamos em um tópico mais queremos ir atrás de conhecimento sobre ele e mais conteúdo aparece, mas quanto mais estudamos, menos praticamos e mais perto da paralisia por análise nos estamos!

A área de computação é carregada de informação e assuntos importantes para estudarmos. Quanto mais nos aprofundamos em um tópico mais queremos ir atrás de conhecimento sobre ele e mais conteúdo aparece.

Com esse monte de coisa para aprender acaba aparecendo um problema: não conseguimos nunca saber se estamos realmente prontos para enfrentar um desafio diferente. Seja esse desafio criar um software, arrumar um emprego ou só fazer algo diferente do que fazemos quando estamos estudando e praticando através dos exercícios guiados por artigos, livros ou cursos.

Você já se pegou fazendo um curso de determinado assunto e quando vai colocar a mão na massa em um exercício prático diferente do que foi instruído em aula você travar?

As vezes passamos meses estudando e quando vamos colocar em prática a sensação é de que não sabemos o suficiente e caímos em um loop de procurar conteúdo, estudar, estudar e estudar, tentar sair do que foi apresentado, não conseguir e voltar a procurar conteúdo, estudar, estudar e estudar mais.

Não conseguimos sair dos estudos… Da teoria. Não conseguimos ir além do que nos foi passado e por isso nos sentimos incapazes.

Em alguns momentos de nossas vidas dizer que não estamos prontos (que não sabemos o suficiente) é uma desculpa inconsciente para não sairmos da nossa zona de conforto. É o medo de enfrentar os problemas que irão aparecer ao encarar um projeto, o medo do emprego novo, o receio do que as pessoas vão pensar de nós ao ver nosso código. É puro medo.

Em outros casos, é claro, é realmente necessidade de aprender de verdade, pois quando não entendemos de verdade sobre um assunto é sinal que não aprendemos ele. E quando não aprendemos, não nos sentimos confortáveis em enfrentar desafios diferentes.

A grande dificuldade aqui é de sair da teoria e colocar a mão na massa no prático. E programação é colocar nossos conceitos em prática. Só com papel não conseguimos colocar um software no ar.

Isso é extremamente comum e acontece em qualquer área profissional e também em qualquer situação da nossa vida.

Quantas pessoas não passam meses pesquisando sobre alimentação saudável, esportes para praticar em academia e fora dela, como começar a desenhar, como é fazer terapia psicológica, como cuidar de um animalzinho e nunca realmente colocam isso em prática?

A busca pela perfeição, a comparação com outras pessoas, a ansiedade nos limitam a conseguir alcançar nosso potencial e alavancam algo chamado de paralisia por análise. Paralisia por análise, resumindo e simplificando muito, é a gente pensar demais e acabar bloqueados(as) por isso. Acabamos caindo numa indecisão imensa por causa da quantidade de opções que nos damos através desse monte de pesquisa, achismo e pressão que colocamos sobre nós.

Neste artigo vamos entender como superar esse bloqueio e finalmente colocar nossos planos em prática ou mesmo tirar nossas ideias do papel.

Imagem de uma biblioteca por Alfons Morales no Unsplash

Como saber se estamos pensando demais e agindo pouco

É bem complicado chegar aqui dizendo que você deve parar de pensar tanto e começar a colocar as coisas em prática. As vezes precisamos sim pensar mais antes de agir.

Não podemos sair comprando 10 cursos de programação, estudando 24 horas por dia ou algo do tipo para se sentir confortável em colocar em prática o uso de uma tecnologia ou criação de um projeto.

O caso que eu estou dizendo aqui é o fato de estarmos bloqueados(as) de colocar um plano em prática depois de tanto analisar. Você já procurou tanto conteúdo e já estudou tanto que não precisa mais estudar, precisa só colocar em prática.

Como saber se estamos numa situação dessas?

Quando começamos a repetir conteúdo, repetir os mesmos exemplos e exercícios e mesmo assim achamos que não estamos prontos(as) para parar de fazer isso.

Exercícios são extremamente importantes para validar nosso conhecimento, mas se você já fez 30 vezes o mesmo, então ele não está mais validando nada. Você pode até já ter decorado ele.

Isso acontece muito com os requisitos das vagas de emprego… Vemos aquela lista imensa, pegamos tudo aquilo para estudar e caímos no loop da análise por medo de mandar o currículo ou se candidatar na vaga e não bater as expectativas dos recrutadores.

Como superar a paralisia por análise e começar a colocar os planos em prática

A paralisia por análise acontece muito porque estamos com medo do novo, temos/pesquisamos/encontramos muita informação e por causa do perfeccionismo. Então temos que trabalhar em cima disso.

Precisamos colocar os pés no chão, tentar buscar um foco, montar metas e parar de se cobrar tanto.

Vamos entender como fazer isso.

Prazos e metas

Procure criar metas pessoais sobre algo e coloque prazos para bater elas. Crie metas pequenas, claras e alcançáveis, para que você consiga perceber sua evolução e não ficar com aquela sensação de que não está aprendendo nada, de que não está conseguindo atingir as expectativas.

Vamos pensar no exemplo de alguém que deseja aprender JavaScript. Essa pessoa pode colocar uma meta pessoal como:

O que isso diz sobre a meta?

Basicamente que a pessoa precisa aprender uma linguagem de programação, mas quando? Como saber se ela realmente aprendeu sobre o assunto?

Então podemos pensar em pequenas metas alcançáveis e mensuráveis da seguinte maneira:

A pessoa consegue garantir que irá estudar todos os dias por 30 minutos e depois vai sair da zona de conforto fazendo algo diferente do que viu lhe dando mais conforto ao ver um problema diferente do habitual em uma prova ou exercício prático para uma vaga.

Sair da zona de conforto

Existem diversos sites com desafios de programação, existem diversos projetos open source aguardando nossa contribuição e temos muitas ideias que nunca colocamos em prática. Que tal usar o que aprendeu para realizar isso?

Sair da zona de conforto é muito difícil, pois o navio ancorado está sempre seguro e é aconchegante ficar na água calma. Mas o navio não foi feito pra isso. Ele foi feito para enfrentar o mar e você também.

Você não estuda para ficar só na teoria, você estuda para inventar coisas, para resolver problemas, para criar algo novo e fantástico, então bora fazer isso!

Para sair da zona de conforto nós precisamos reconhecer que ela existe. A maneira de fazer isso é nos analisarmos profunda e honestamente. É realizar a autocrítica.

Faça um exercício de autocrítica e se pergunte: por que você não faz isso que tanto quer fazer?

Ao aparecerem as respostas, tente se contradizer. Tente procurar soluções para os problemas que você diz ter. Você vai conseguir identificar se está se enganando ou se realmente tem algo que te limita de realizar o que tanto deseja.

Parar de se comparar

As pessoas que tendem a ser perfeccionistas costumam se comparar muito com outras que são referência na área.

Na nossa área temos muitos eventos, muita gente escrevendo artigos e fazendo vídeos para compartilhar o que sabe ou o que está estudando. Você não deve se comparar com essa pessoa.

Essa pessoa pode ter algo que você não tem, como tempo e recursos financeiros, e se comparar com ela só te fará se sentir mal. Fora o contexto histórico. Se ela aprende mais rápido do que você é sinal que ela aprendeu a aprender antes de você. Ela pode ter o gene abençoado pela natureza e aprende mais rápido por isso. Existem milhares de variáveis que podem ter colocado essa pessoa “na sua frente” profissionalmente.

O mesmo se encaixa para aquela pessoa que senta do seu lado no trabalho. Às vezes ela programa muito mais rápido que você, domina 475 linguagens de programação e sabe tudo o que acontece de novidade no universo da programação de computadores. Essa pessoa não é melhor do que você, ela só é diferente.

Você precisa buscar fazer o melhor com o que você tem agora e continuar evoluindo gradativamente e no seu tempo. Você precisa entender que você também consegue chegar nesse nível quando tiver o tempo de experiência ou recursos que ela tem.

Você nunca se sentirá capaz se continuar se comparando com outras pessoas. Todo novo dia é uma oportunidade de você ser melhor do que você foi ontem, não de você ser melhor do que outras pessoas.

Você precisa se focar em suas metas e prazos e nos exercícios práticos que você vai realizar. É isso que vai te tornar mais especialista e mais capaz.

Conclusão

Espero que tenha ficado claro o que você precisa fazer para superar esse estado de bloqueio que a ansiedade e o medo trazem para nossa vida e que as dicas tenham sido úteis para o seu crescimento profissional e pessoal.

Alguns artigos que podem complementar o que eu te falei até aqui, ajudar a planejar sua vida e superar a paralisia por análise para tirar suas ideias do papel ou enfrentar aquele emprego que tanto te amedronta:

Lembrando que eu não sou profissional de psicologia. Então, se mesmo com essas dicas você não se sentir confortável e continuar bloqueado(a), é hora de procurar ajuda profissional para que você consiga desbloquear seu potencial.

Se você curtiu esse artigo, compartilha com sua rede.

Não esqueça de se inscrever no meu canal e conferir minhas pesquisas sobre programação e carreira:

Referências

Referências, mais algumas informações e dicas sobre a paralisia por análise:

Categorias:

Espalhe a palavra!

Compartilhe este artigo nas redes sociais clicando nos ícones.

Deixe um comentário